De Nova York, O general manager de Global Integrated Accounts da IBM, faz também parte do Conselho Consultivo Estratégico da Agrotools.

Rodrigo Kede traz para a companhia seu know-how em tecnologia da informação e a visão inovadora como gestor. Ele começou a carreira como estagiário na IBM, ainda estudante, e, com pouco mais de 30 anos, já era CEO da empresa no Brasil. Hoje, aos 47, comanda, direto de Nova York, uma das mais importantes áreas da companhia para a América do Norte.

O engenheiro carioca Rodrigo Kede está surfando sua grande onda. Surfista desde os 9 anos, Kede deixou sua prancha no Rio e, como um líder global da IBM, comanda de Nova York, desde 2017, uma das mais importantes área da empresa, responsável por mover a base instalada de grandes clientes da IBM para a nuvem: um brasileiro na linha de frente dessa gigante norte americana, que é referência  mundial em tecnologia da informação.

Ainda estudante, Kede começou na IBM como estagiário, em 1993. Aos 33 anos já havia se tornado diretor financeiro e mais tarde se tornou presidente da IBM no Brasil e posteriormente presidente para América Latina, antes de se mudar para Nova York. Rodrigo também teve uma passagem como presidente da TOTVS.

Em agosto de 2019 foi um dos palestrantes no evento Agrotools Future, evento organizado pela Agrotools, cujo propósito foi refletir o potencial imediato e os impactos da inovação tecnológica no mundo do agronegócio e suas consequências para o consumidor final. A visão inovadora do executivo, bem como sua convicção sobre a inteligência artificial ser a chave para incentivar as relações de produção no mundo, motivou a Agrotools a convidá-lo a integrar seu Conselho Estratégico. “Como empresa que pensa na tecnologia como ferramenta para otimizar e promover o agronegócio, a Agrotools está sempre atenta aos especialistas que tenham essa visão convergente sobre a economia 4.0”, acredita o fundador da Agrotools, Sergio Rocha.

Rodrigo Kede é membro do Conselho da Suzano e do Conselho Consultivo Internacional da Fundação Dom Cabral. Kede já foi presidente do Conselho do Instituto Brasileiro de Executivos Financeiros (IBEF) e também membro do Conselho da Câmara Americana – AmCham.

Para ele, a Agrotools tem um futuro promissor no segmento porque emprega as ferramentas da tecnologia para linkar o agronegócio com os players desse segmento. “A inteligência artificial vai mudar todas as profissões e todas as indústrias. O Brasil precisa de mais organização e alinhamento entre os setores acadêmico, privado e público para incentivar pesquisas e tecnologia, pois esse é um grande caminho para a produtividade”, disse Rodrigo recentemente.

A Agrotools nasceu justamente da necessidade de aproximar dois universos com o uso de tecnologia: propriedades rurais e o mundo de negócios. “Desde o início de nosso trabalho tínhamos a visão de que deveríamos investir fortemente no que havia de mais inovador em nuvem, inteligência artificial, big data e analytics”, diz Sérgio. “Foi assim que nos firmamos como uma das únicas do setor a não utilizar tecnologia de terceiros, desenvolvendo 100% de nossas soluções digitais para o agronegócio, considerando todos os parâmetros e particularidades de que o setor necessita.”

Mais para explorar